Logomarca IBE

IGC: Quatro universidades que integram o IBE estão entre as melhores do País

Entre as 134 universidades públicas avaliadas pelo Índice Geral dos Cursos (IGC) do Ministério da Educação (MEC), quatro integrantes do Instituto de Estudos Brasil Europa (IBE) receberam nota 5, o conceito máximo. Conquistaram a nota as parceiras Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e a associada Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

A avaliação anual dos cursos e das insitutições de ensino superior brasileiras referente a 2011 foi divulgada na quinta-feira (6 de novembro). Foram avaliados 8.665 cursos que compõem as notas de 1.387 universidades, faculdades e centros universitários.

O IGC é um índice que avalia cursos de graduação e pós-graduação (mestrados e doutorados), utilizando para isso a média ponderada do Conceito Preliminar de Curso (CPC), na graduação, e da nota da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), na pós-graduação. Em 2011 foram avaliados cursos das áreas de ciências exatas, licenciaturas, além de cursos dos eixos tecnológicos de controle e processos industriais, informação e comunicação, infraestrutura e produção industrial.

Cada área do conhecimento é avaliada pelo IGC de três em três anos. Segundo dados do IGC, 27% dos cursos não alcançaram desempenho suficiente de acordo com os parâmetros do MEC e tiveram notas 1 e 2. A nota mínima da instituição para participar de políticas como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é 3. Caso não alcance a meta, a instituição pode ser punida.

Graduação

Além do IGC, também foi divulgado o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia exclusivamente cursos de graduação. O índice considerou 4.403 universidades – sendo 2.642 públicas e 1.761 privadas – além de 2.245 faculdades e 928 centros universitários. Atualmente, 53,9% das matrículas do ensino superior estão nas universidades, 30,9% nas faculdades e 13,7% nos centros universitários.

O CPC avalia o rendimento dos alunos, infraestrutura e corpo docente. A nota considera, por meio do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), o desempenho dos estudantes, representando 55% do total, enquanto a infraestrutura representa 15% e o corpo docente, 30%. Na nota dos docentes, a quantidade de mestres pesa 15% do total, já dedicação integral e doutores representam 7,5% cada.

(Fonte: Assessoria de imprensa do IBE com Agência Brasil)