Logomarca IBE

Orientadores credenciados para Doutorado do IBE participam de workshop

A coordenação de classe de Pós-Graduação do Instituto de Estudos Brasil Europa (IBE) realiza nesta quarta-feira (10 de abril), às 9 horas, workshop por videoconferência com os potenciais orientadores do Doutorado de Estudos Europeus em Políticas para o Desenvolvimento. O curso, que está em fase de final de criação, será apresentado este mês para apreciação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

De acordo com o coordenador da área, professor José Alfredo Arêas, o encontro visa esclarecer dúvidas dos orientadores sobre o propósito do programa. Entre as instituições representadas até agora estão a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade de Campinas (Unicamp), University of Brunel, La Sapienza di Roma, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade de Bologna, Universidade Nova de Lisboa (Uninova), Karlstad University e Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita” (Unesp).

A proposta de Doutorado segue a organização geral do IBE, com suas áreas previamente definidas de Saúde e Biologia, Ciências Políticas e Sociais, Humanidades e Artes, Ciências, Tecnologia e Políticas. Nesta áreas vão se desenvolver projetos transdisciplinares de Doutorado com dupla orientação, sendo um europeu e outro brasileiro com competências distintas.

Ao todo o programa terá sete linhas de pesquisa: Envelhecimento e Bem-estar; Doenças Negligenciadas; Diversidade Cultural; Tecnologias de Informação e Comunicação; Energia, Sustentabilidade, Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano; Democracia e Governança; e Desenvolvimento Econômico e Sustentabilidade.

O conteúdo do Doutorado já foi aprovado pelo IBE durante reunião do Comitê Diretivo realizada em Belém no último mês, na qual a professora Maria Inês Santoro (USP, foto) apresentou os detalhes. De acordo com o professor Arêas, o próximo passo será uma reunião com a Capes antes da submissão formal do projeto para avaliação. “Isso porque o Doutorado será oferecido em um novo modelo, que não é por meio das universidades, mas no âmbito do próprio IBE”, justifica.

 

(Fonte: Assessoria de Comunicação do IBE)