Logomarca IBE

Proposta de Doutorado do IBE é submetida à Capes

O Instituto de Estudos Brasil Europa (IBE) protocolou esta semana junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) a proposta de Doutorado intitulada Estudos Brasil-Europa em Políticas para o Desenvolvimento. O curso, de caráter transdisciplinar, concentra as áreas Sociais e de Humanidades e é coordenado pelo professor José Alfredo Arêas (USP), da classe de atividades acadêmicas do IBE. “Acredito que preenchemos os requisitos para passar em todas as etapas do processo de avaliação da Capes. O programa tem mérito acadêmico e é uma iniciativa inédita”, destaca. A proposta será avaliada por um comitê escolhido pela Capes e a previsão é que o resultado seja divulgado até outubro.

A estrutura do Doutorado foi discutida com a participação dos parceiros brasileiros e europeus do IBE com a ideia de combinar as competências em Ciências Políticas e Sociais, Humanidades e Artes, Saúde e Biologia, Ciência e Tecnologia para a reflexão de temas relacionados aos problemas sociais contemporâneos. No corpo docente estarão presentes professores do Brasil (UFMG, Unicamp, USP, Unesp e UFSC), Inglaterra (Brunel University), Portugal (Universidade do Porto e Universidade Nova de Lisboa) , Itália (Universitá di Bologna e Sapienza Universitá di Roma) e Suécia (Karlstads Universitet).

De acordo com a proposta, o curso contará com sete linhas de pesquisa: Envelhecimento e bem estar; Doenças Negligenciadas; Diversidade cultural, Tecnologias de Informação e Comunicação; Energia, meio-ambiente, desenvolvimento humano e sustentabilidade; Democracia e Governança; e Desenvolvimento econômico e sustentabilidade. Entre as disciplinas ofertadas estarão Fundamentos e Teorias da Transdisciplinaridade; Seminários em Envelhecimento e Bem Estar; Seminários em Doenças Negligenciadas; Seminários em Diversidade Cultural; Seminários em Tecnologia de Informação e Comunicação; Seminários em energia, meio-ambiente, desenvolvimento humano e sustentabilidade; Seminários em Democracia e governança; e Seminários em desenvolvimento econômico e sustentabilidade.

Vertente internacional

O programa será oferecido de modo a permitir ao doutor por ele formado o enfrentamento de problemas complexos ligados aos temas descritos com recurso à combinação de quaisquer áreas de conhecimento necessárias para o seu correto desenvolvimento, contando com uma forte vertente internacional, importante para o aproveitamento da experiência europeia e para a produção de trabalhos de tese com propostas inovadoras.

Deste modo, a dupla orientação será obrigatória. Haverá um orientador brasileiro e outro europeu e será viabilizada a articulação de orientadores de universidades diferentes e de diferentes áreas de conhecimento no desenvolvimento dos projetos transdisciplinares de tese propostos. Será obrigatória a permanência do aluno nos grupos de pesquisa de seus orientadores por prazo não inferior a um ano durante o desenvolvimento de sua tese, de forma a exercitar e garantir esta abordagem transdisciplinar.

 

Veja a proposta na íntegra em inglês e português

 

(Fonte: Assessoria de Comunicação do IBE)