Logomarca IBE

Curso de especialização do IBE vai formar gestores

Formar gestores públicos para Estados e grandes municípios é o objetivo do primeiro curso de especialização do Instituto de Estudos Brasil Europa (IBE). Com o título Gestão Pública e Relações Brasil Europa, o curso deverá ter Parceria com a École Nationale d’Administration (ENA), uma das instituições mais respeitadas no mundo quando o assunto é administração pública. A proposta do curso foi aprovada no segundo dia de trabalhos da 7a. Reunião do Comitê Diretivo do IBE, que aconteceu nos dias 11 e 12 de junho na Unicamp, em Campinas (SP).
De acordo com a professora Ana Gomes (UFMG), coordenadora da área de Extensão do IBE, o curso deverá ter 360 horas e vai oferecer entre 20 e 30 vagas. Entre  os eixos temáticos definidos estão: Gestão Pública e Democracia: Processos de elaboração de políticas, avaliação, inovação; governança, transparência e interesse público."Temos em vista o desenvolvimento de políticas, programas e projetos de cooperação internacional com países da União Europeia", explica, Ana Gomes.
Avanços no programa de Doutorado do IBE foram registrados no primeiro dia de reunião do instituto (leia aqui). A manhã do segundo dia de trabalhos do Instituto de Estudos Brasil Europa foi dedicada à 4a. Reunião do Comitê Estratégico. O presidente do comitê, Thomas John Owens (Brunel University) foi reeleito e Anna Brunstrom (Karlstad) foi eleita vice-presidente. O presidente Thomas fez um relato das atividades do comitê com os temas: reuniões na Europa, apresentação e análise de novas afiliadas, além da apresentação das ações das associadas e afiliadas.
O professor Flávio Nassar discutiu com os participantes os últimos detalhes para a realização do próximo Congresso Internacional do IBE, que vai acontecer no mês de dezembro em Belém (PA) e terá como tema Avançando na Inclusão. A parte da tarde foi dedicada a uma extensa pauta de discussões entre as classes de atividades  Estrutura e Operação (USP); Diálogo (UFSC); Acadêmica (USP); Pesquisa (Unicamp) e Extensão (UFMG) e coordenadores das áreas de conhecimento: Humanidades (Unicamp); Saúde e Biologia (Unesp); Tecnologia (USP);Humanidades (UFMG) e Políticas (USP). A última pauta da reunião foi o fomento à pesquisa colaborativa entre universidades brasileiras e europeias.