Logomarca IBE

Inscrições para Prêmio Jovem Cientista 2013 vão até 30 de agosto

Estão abertas até 30 de agosto as inscrições para o Prêmio Jovem Cientista, premiação organizada pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) em parceria com Fundação Roberto Marinho, Gerdau e General Eletric.

O objetivo é promover a reflexão e a pesquisa, revelar talentos e investir em estudantes e jovens pesquisadores que procuram inovar na solução de desafios brasileiros. As inscrições podem ser feitas pelo site do Prêmio Jovem Cientista.

Para participar é preciso ter menos de 40 anos e estar ligado a instituição de ensino. As categorias são estudantes de ensino médio – que inclui estudantes de ensino técnico e profissionalizante -, estudantes de ensino superior e mestre doutor.

Haverá prêmio de mérito científico para a instituição de ensino médio e para a de ensino superior que apresentarem o maior número de inscrições de trabalhos com mérito científico. Será premiado também um pesquisador doutor que tenha dedicado a carreira ao tema abordado pelo prêmio. O deste ano é Água: Desafios da Sociedade.

Até R$ 35 mil

Os prêmios vão de R$ 15 mil a R$ 30 mil para a categoria de mestre e doutor e de R$ 10 mil a R$ 15 mil para nível superior. No ensino médio, os três primeiros lugares recebem laptops. As instituições premiadas recebem R$ 35 mil cada e o pesquisador doutor premiado recebe R$ 20 mil. Os vencedores também são contemplados com bolsas de estudo do CNPq, além da publicação dos trabalhos.

As empresas parceiras, Gerdau e General Eletric, oferecerão visitas aos laboratórios globais de pesquisa. A estudante Ana Gabriela Person foi a vencedora do prêmio em 2011 na categoria de estudante de ensino médio. Ela foi incentivada pela professora a inscrever o projeto que desenvolvia na instituição de ensino técnico onde estudava.

Ana Gariela propôs a utilização de materiais orgânicos para armazenar e transportar mudas de plantas no lugar dos saquinhos pretos de polietileno usados atualmente. “O prêmio foi importante para que eu pudesse divulgar o meu trabalho. Cheguei a apresentá-lo em mais duas feiras de ciência de nível nacional e ele foi muito bem aceito. Ganhei mais uma premiação pelo projeto”, diz.

 

(Fonte: Mariana Tokarnia - Da Agência Brasil)