Logomarca IBE

Rede de pesquisa e inovação do Centro-Oeste se reúne em Goiânia

 Criada há quase três anos, a Rede Centro-Oeste de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação (Pró-Centro-Oeste) realiza seu primeiro seminário de acompanhamento e avaliação nesta semana, quarta (7) e quinta-feira (8), no Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia. A articulação tem como objetivos principais a conservação e o uso sustentável do Cerrado e do Pantanal. No encontro, coordenadores das redes contratadas apresentam resultados do Edital 31, lançado em 2010, além de trocar informações entre si e discutir gargalos e soluções para a execução do programa.

A chamada pública envolveu mais de R$ 41 milhões, com repasses do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) e das fundações de amparo à pesquisa de Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. De acordo com a Coordenação-Geral de Gestão de Ecossistemas, da Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI (Seped), o edital levou à contratação de 16 redes interestaduais e 101 projetos de pesquisa.

Para a formação de recursos humanos, a iniciativa estruturou um programa de pós-graduação multi-institucional, em nível de doutorado, com disciplinas nas quatro unidades da federação, especialmente em biotecnologia e biodiversidade. A Capes aprovou a proposta de curso em maio deste ano.

O seminário reúne coordenadores das redes de pesquisa, representantes da Seped e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e consultores convidados para avaliar os resultados apresentados. A rede Pró-Centro Oeste busca fortalecer e consolidar a formação de recursos humanos e a produção de conhecimentos científicos, tecnológicos e de inovação, para contribuir com o desenvolvimento da região.

(Fonte: Rodrigo PdGuerra – Ascom do MCTI)