Logomarca IBE

UnB integra acordo bilateral com a Europa em pesquisa e inovação

Afiliada ao Instituto de Estudos Brasil Europa (IBE) a Universidade de Brasília (UnB) – por meio do Centro de Estudos Avançados de Governo e Administração Pública (CEAG) – participará do Bureau Brasileiro para Ampliação da Cooperação Internacional com a União Europeia, o B.Bice+. O projeto será financiado pela Comissão Europeia com o objetivo de apoiar áreas relacionadas à ciência, tecnologia e inovação.

O B.Bice+ sucede o BB.Bice, uma iniciativa semelhante, iniciada em 2008, e que foi desenvolvida na UnB. A nova versão do projeto foi lançada na quinta-feira, 9 de novembro, na sede do Conselho de Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Até 2015, a UnB participará com estudos quantitativos e qualitativos, cuidando da disseminação e divulgação de informações sobre programas europeus e brasileiros nessas áreas. "A Universidade, por sua localização e excelência, pode se constituir em um espaço natural para realizar encontros e seminários e discutir atividades e projetos entre a União Europeia e o Brasil”, disse Paulo Egler, responsável na UnB pelas atividades do B.Bice+.

Pelo Brasil, além da UnB, participam o CNPq e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas (Anprotec). Pela União Europeia, fazem parte o Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento (IRD/França), a Agência Internacional do Ministério Federal da Educação e da Pesquisa (DLR/Alemanha) e a Fundação para a Pesquisa da Grécia (Forth/Grécia).

Potencial

Para Piero Venturi, conselheiro de Ciência e Tecnologia da Delegação da União Europeia no Brasil, o País atingiu um patamar de desenvolvimento que permite um diálogo em igualdade de condições. “Temos que pensar a cooperação entre Europa e Brasil de igual para igual, no mesmo nível. Pensar ações de longo prazo e de maneira programática, que beneficiem os dois lados”, disse. Piero destacou as pesquisas em Biotecnologia, Energia, desastres naturais e tecnologias da informação como algumas das áreas onde europeus e brasileiros podem aprender mutuamente.

A chefe de unidade da União Europeia para a ciência e a tecnologia nas Américas, Sigi Gruber, acredita que o Brasil tem potencial para aumentar ainda mais a cooperação com a Europa. “Queremos acessar o conhecimento produzido fora da Europa e unir forças para solucionar desafios globais. Nesse contexto, queremos elevar o Brasil a um patamar de alto nível estratégico”, disse a executiva durante o lançamento do B.Bice+.

(Fonte: UnB Agência)