Logomarca IBE

IBE mostra avanços concretos em 2 anos de existência

 O Instituto de Estudos Brasil Europa (IBE) tem verificado resultados concretos desde dezembro de 2010, quando foi criado por meio de parceria entre a União Europeia (UE) e universidades brasileiras para fortalecer a educação superior no Brasil e promover o conhecimento mútuo entre as instituições e sociedades do País e da UE. Em quase dois anos de funcionamento, o IBE foi formado por 8 universidades brasileiras parceiras e 7 europeias associadas, além de ter conquistado a adesão de afiliadas e entidades de apoio, totalizando 28 universidades envolvidas.

Para garantir o bom andamento da iniciativa, já ocorreram 8 reuniões do Comitê Diretivo do IBE e 4 do Comitê de Assessoramento Estratégico. Para este último o IBE tem buscado a participação de atores diversos, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação (MCTI), Ministério das Relações Exteriores, o Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação (IPTI) e ONGs.

Dentro de seus principais objetivos, o IBE, na fase atual, procura ampliar o diálogo entre ONGs e PMEs brasileiras e europeias em cinco temas de interesse mútuo: Diversidade Cultural; Envelhecimento e Bem-Estar; Energia, Sustentabilidade, Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano; Democracia e Desenvolvimento Humano; Democracia e Governança; Tecnologia da Informação e da Comunicação. O IBE também avança na criação do Doutorado em Estudos Europeus e da Especialização em Gestão Pública, em parceria com a Ecole Nationale d'administration, ENA.

Participação

O engajamento dos atores envolvidos no projeto tem garantido o bom funcionamento da iniciativa e pode ser observado por meio dos índices como o volume de recursos humanos empregados em horas técnicas disponibilizados pelas universidades, somando média mensal de 192 horas por parceiros. Além disso, o IBE enviou 15 propostas de patrocínio a empresas europeias e brasileiras e formalizou propostas de parcerias com fundações de amparo à pesquisa, por meio de reuniões com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e de Minas Gerais (Fapemig).

Ao longo de dois anos, o IBE recebeu 7 visitas institucionais importantes, que denotam o reconhecimento e prestígio do projeto, como a do secretário geral da European Research Council (ERC), Don Dingwell, em maio deste ano. O IBE recebeu ainda 12 convites diversos para participação em eventos. Outro indicativo importante da adesão ao projeto foi o Congresso Anual, realizado em Goiânia, quando mais de 150 participantes discutiram o tema “Cidades Inteligentes, Cidades Humanas”.

Com estas diversas ações, o IBE tem conseguido promover o desenvolvimento do ensino e da pesquisa por meio de uma ação cooperativa que envolve atividades de estruturação e operação, de diálogo, acadêmicas, de pesquisa e de extensão à comunidade.